RSS

Visite o Parque Ecológico de Buenos Aires

O Bairro de Puerto Madero, além dos enormes prédios de
escritórios e residenciais, restaurantes e hotéis, oferece ainda um dos maiores
parques da cidade de Buenos Aires.
A  Reserva Ecológica
Costanera Sur é um enorme espaço natural preservado de 360 ​​hectares que
oferece diversão garantida para crianças e adultos.
O Parque Ecológico, como é popularmente chamado, possui  um grande número de espécies de aves e  plantas típicas da costa do Rio da Prata, possui
também  animais característicos dos lagos
e pântanos do Pampas. Tudo isso a poucos quarteirões do centro financeiro e
administrativo.
No Parque Ecológico o  visitante pode explorar os diversos
caminhos  e trilhas a pé ou de bicicleta.
 Ao longo das trilhas o visitante também
conta com bancos de madeira para o descanso e mirantes que oferecem a
oportunidade de admirar e ver de perto a variedade de plantas e animais do
local.
As trilhas do Parque possuem extensões diferentes pra todos
os gostos e resistência física.  Podem
ser percorridas em pouco menos de 1 hora até 3 ou 4 horas.
A história do local é interessante. Em  1918, no lugar onde hoje é a reserva, havia
uma estância termal municipal. Nesse local as pessoas literalmente se banhavam
nas águas do Ria da Prata. É claro que, com o
tempo, o local infelizmente teve que ser fechado devido à contaminação das águas do Rio.
1916, Pessoas se banhando no Rio Del Plata
Em 1978, a região foi aterrada e pouco a pouco o local foi
sendo ocupado por plantas e animais tornando o lugar naturalmente num parque de
grande beleza ecológica.
Em 1986, a Prefeitura da Cidade de Buenos Aires reconheceu a
beleza e importância do lugar transformando-o e investindo em infra-estrutura
para torná-lo um Parque aberto ao público em geral. Foi então criada a Reserva
Ecológica Costanera Sur.
Dicas:
  • Não é possível chegar de Metrô. A sugestão é pegar um táxi
    até Puerto Madero e ir a pé até o Parque. Do canal de Puerto Madero até o
    Parque são apenas dois quarteirões.
  • Evite o Parque a noite pois a iluminação é precária.
  • Há visitas guiadas para público nos sábados, domingos e
    feriados as 10:30h. e 15:30h.
  • Todos os meses é oferecido um diferente e interessante um
    passeio noturno acompanhado por guias. Para informações sobre reservas, datas e
    horários consulte o site.
  • Não esqueça de levar a câmera fotográfica, o local é lindo e
    ideal para belas fotos.

Fica na Avenida Tristán Achaval Rodríguez, entre as Ruas
Viamonte e Brasil. O Parque possui duas entradas que ficam respectivamente nas
ruas mencionadas.
A entrada é gratuita. Aberto diariamente das 8:00 até19.00h.
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 04/11/2011 em Buenos Aires

 

Conheça o Paseo La Plaza, em Buenos Aires

Localizado no Centro da Cidade de Buenos Aires, na famosa Av. Corrientes, o Paseo La Plaza, é um bonito centro cultural construído em um antigo mercado modelo. O espaço, inaugurado em 1989, mantém traços da arquitetura original e reúne salas de teatro, bares, restaurantes, centro de convenções e lojas.

A característica principal deste centro de entretenimento é o fato de ser o núcleo do teatro alternativo de Buenos Aires. Suas salas de teatro chamadas Sala Pablo Neruda, Sala Pablo Picasso e Sala Storni, recebem anualmente milhares de espectadores. Além disso, há espaços onde são apresentadas obras de Stand Up comedy, entre outras.

O local oferece um ambiente muito agradável, com várias árvores e jardins que fazem com que os visitantes ate esqueçam que estão em meio a uma das mais movimentadas avenidas da cidade.

Dentre as atrações do Paseo Plaza temos o primeiro museu da América Latina sobre os Beatles. Todos os itens expostos pertencem ao portenho Rodolfo Vázquez, que guarda artigos da banda desde criança. Fã e colecionador, Rodolfo chegou até a entrar no Guinness em 2001 por sua coleção de mais de 8.500 objetos do grupo

Entre suas relíquias estão roupas, um cheque assinado por Ringo Starr, fotos, discos e até perucas originais usadas pelos músicos. O museu fica no mesmo Complexo Cultural La Plaza onde funciona o Cavern Club Buenos Aires, um pub nos mesmos moldes do clássico The Cavern de Liverpool, onde a carreira dos Beatles começou.

O Paseo Plaza fica na Avenida Corrientes 1660. Aberto diariamente das 10:00 até 02:00h. da madrugada.

Dicas:

  • Para chegar de Metrô, desça na Estação Callao da Linha B (vermelha) ou na Estação Tribunales da linha D (verde).
  • A entrada principal fica na Avenida Corrientes, mas também é possível acessar o local pela Avenida Sarmiento e Montevideo 350.

Veja o site: www.paseolaplaza.com.ar

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 01/11/2011 em Buenos Aires

 

Patio Bullrich, um dos Shopping Centers mais chiques de Buenos Aires

Localizado numa das áreas mais ricas da cidade de
Buenos Aires, em Recoleta, o Shopping Center  Patio Bullrich faz juz ao  seu nome e à localização. É um dos  shopping s mais chiques e requintados da
capital com lojas das mais famosas e renomadas grifes e estilistas.


O edifício histórico com arquitetura neoclássica pertenceu
à família Bullrich. O que antes era uma casa de leilões, em 1988 se transformou
num shopping freqüentado pela elite de Buenos Aires e turistas, digamos, com a
carteira “mais recheada”.


A estrutura histórica do prédio de 4 andares foi
preservada fazendo com que o local tenha uma mistura bonita e harmoniosa do
antigo e do moderno.  


Em comparação com outros Shopping Centers da cidade,
o Patio Bullrich não é muito grande, possui algumas dezenas de lojas (quase 100 lojas), 4 salas
de cinema e  área de alimentação com
variadas opções de restaurantes, lanchonetes e cafés. Mesmo sendo pequeno, vale
a pena a visita pois o lugar é muito bonito.


Dicas:

  • No piso térreo há uma casa de câmbio.
  • Algumas lojas que comercializam produtos
    manufaturados e produzidos na Argentina oferecem o Tax Free. Se trata de uma
    nota fiscal que o visitante estrangeiro pode apresentar num guichê dos
    aeroportos a fim ter o reembolso do valor das taxas e impostos pago na compra.  Dependendo do valor gasto compensa  muito!
  • No balcão de informações do Shopping  Center é possível pegar um cupom que dá
    direito a 10% de desconto em algumas lojas cadastradas.
  • O Shopping possui um diferencial de oferecer
    transporte gratuito do hotel do turista até o local. O telefone para solicitar
    o transporte é 4814-7412.


Visite o site oficial:
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 28/10/2011 em Buenos Aires

 

O emocionante Museu do Holocausto em Buenos Aires

O Museu do Holocausto, localizado em Buenos Aires é, certamente, um dos lugares mais emocionantes a ser visitado. Único do gênero na América Latina, o local tem por objetivo principal a divulgação da história do Holocausto e suas consequências no mundo.

O Museu tem também como objetivo a conscientização das graves consequências e efeitos do racismo, da discriminação e da xenofobia na nossa sociedade.

Localizado num edifício de tijolos vermelhos e arquitetura peculiar, o Museu conta com dois andares e diversas salas que abrigam a exposição permanente e diversas exposições temporárias.

Entrada do Museu do Holocausto

A exposição mostra através de painéis, objetos e fotos o horror provocado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial. As informações são apresentadas de forma cronológica desde a fase pré II Guerra Mundial até a fase pós guerra, na qual milhares de sobreviventes vagavam pela Europa em busca de sua identidade há muito perdida e de informações sobre seus parentes e familiares.

Não só os objetos, mas também as fotos são bastante chocantes e fazem com que o visitante realmente reflita sobre a irracionalidade e a brutalidade do Holocausto. Um diferencial do Museu é mostrar como o Holocausto influenciou direta e indiretamente a Argentina e seus cidadãos.

Painéis contam a história em ordem cronológica

Sobre essa relação convém mencionar que a Argentina foi o destino de muitos refugiados e é o pais que possui a maior população Judaica na América Latina.

Outro importante fato a ser mencionado é que, em contraponto, a Argentina também acolheu refugiados Nazistas tendo uma espécie de cicatriz em sua história e sendo alvo de muitos críticos.

Um dos objetos expostos que merece destaque é o passaporte Italiano falso de um dos mais importantes membros nazistas. Aldof Eichmann usou este passaporte para entrar na Argentina em 1950 e viver clandestinamente entre a população.

Outro objeto exposto que chama atenção é o original uniforme listrado usado pelo refugiados nos campos de concentração.

Uniforme original usado em Campo de Concentração

Assista o interessante vídeo institucional sobre o Museu:

Em uma das paredes chama a atenção um a exposição de fotos contendo uma breve biografia dos sobreviventes dos campos de concentração que viveram ou ainda vivem na Argentina.

Painel em homenagem aos sobreviventes argentinos

Numa sala escura a luz de velas o visitante encontra um espaço que homenageia os sobreviventes que infelizmente faleceram vítimas do holocausto. Este espaço chamado Sala da Memória traz os nomes de alguns dos perseguidos e falecidos gravados em placas de metal dourado. É possível acender velas em memória as vítimas.

Sala da Memória: sala em homenagem às vítimas

O Museu também oferece um biblioteca com publicações relacionadas ao tema em diversos idiomas. Uma revista chamada “Nuestra Memoria” é publicada mensalmente pelo Museu e tem como objetivo a oferecer uma perspectiva cultural e histórica do Holocausto e suas conseqüências.

Um fato interessante relacionado ao Museu é que em 2010 uma dupla de neonazistas argentinos foi obrigada pela Lei a trabalhar no Museu. A Pena de 50 horas de trabalho foi dada devido ao fato de os rapazes terem pintado suásticas (símbolo nazista) em uma sinagoga de Buenos Aires.

Outro fato é sobre o total de mortos durante o Holocausto. O número é incerto, mas pesquisadores e historiadores calculam que cerca de 6 milhões de pessoas tenham sido vítimas de um dos mais monstruosos massacres coletivos da história humana.

Dicas:
  • Não esqueça de levar um documento de identidade pois é necessário a apresentação do mesmo a fim de entrar no Museu. 
  • O Museu não abre à visitação nos finais de semana. 
Objetos da época pertencentes aos Judeus

O Museo del Holocausto fica na Rua Montevideo, 919. Bairro Recoleta. Buenos Aires.

A entrada custa apenas $10 (pesos argentinos). Aberto de segunda a quinta das 11:00 até 19:00h; e sexta das 11:00 até 16:00h.

Para mais informações visite o site oficial o Museu:
http://www.museodelholocausto.org.ar

 
2 Comentários

Publicado por em 28/09/2011 em Buenos Aires

 

Conheça o Cemitério Recoleta em Buenos Aires

No Bairro Recoleta encontra-se o Cemitério mais antigo, famoso e importante da cidade, o Cemitério Recoleta. Devido a sua importância, riqueza e beleza, o Cemitério é um dos pontos de interesse mais visitados em Buenos Aires.


Mais do que um simples Cemitério, o local é famoso por abrigar os mausoléus das pessoas importantes na história social e política da Argentina. Cientistas, presidentes, escritores, artistas, militares, enfim, muitas personalidades que contribuíram para o desenvolvimento do país estão enterradas no local.



Como colocado num post anterior sobre o Cemitério da Consolação, em São Paulo, o turismo em cemitérios é uma tendência mundial que vem crescendo.



Apesar de gerar certos sentimentos nas pessoas em relação ao local, por ser macabro, rememorar a morte e trazer sentimentos de dor, perda e saudades, muitos cemitérios são hoje uma riqueza a ser prestigiada e preservada devido às suas obras de arte.


No Cemitério Recoleta o visitante pode apreciar verdadeiras obras de arte a céu aberto. As obras esculpidas possuem uma enorme variedade arquitetônica e os túmulos feitos dos mais diversos materiais como bronze, ferro, mármore, granito, entre outros. Devido à sua importância, muitos mausoléus foram declarados como Monumentos Históricos Nacionais.


A história do local é interessante. Inicialmente um convento de freis recoletos ocupava o local, o convento possuía um grande quintal com uma área verde onde foi implantada uma horta. Com o tempo, em 1822, como conseqüência da reforma Geral da Ordem Eclesiástica os monges foram expulsos do local, e o horto foi transformado em Cemitério.


Veja algumas
das personalidades sepultadas no Cemitério Recoleta
  • Nicolás
    Avellaneda – ex-presidente da Argentina.
  • Adolfo Bioy Casares – escritor. 
  • Miguel Juárez Celman – ex-presidente da Argentina. 
  • Vicente López y Planes – autor do hino nacional da Argentina; 
  • Luis Federico Leloir – bioquímico, ganhador do Prêmio Nobel de Química 
  • Bartolomé Mitre – político, escritor e militar; ex-presidente da Argentina. 
  • Carlos Pellegrini – político e advogado; ex-presidente da Argentina. 
  • Eva Perón – primeira-dama da Argentina. 
  • Carlos Saavedra Lamas – político e advogado, ganhador do Prêmio Nobel da Paz 
  • Domingo Faustino Sarmiento – escritor e político; ex-presidente da Argentina.

O túmulo mais visitado do Cemitério é, sem dúvida, o de Eva Perón. O cadáver de Evita só foi descansar ali três décadas após sua morte. Ao contrário do que muitos imaginam, o túmulo da família Duarte é relativamente simples em relação a outros muito mais imponentes e requintados.

Túmulo da família Duarte (Eva Perón)

Um fato interessante sobre o Cemitério é que, inicialmente, apenas católicos podiam ser enterrados ali. Foi apenas a partir de 1863 que foi permitido o enterro de praticantes de outras religiões.


Outro fato interessante e um pouco horripilante é que alguns túmulos podem causar a impressão de estar num filme de terror. Devido ao abandono, possuem suas portas abertas, vidros quebrados e cobertos por teias de aranha e paredes descascando.


O enorme
pórtico da entrada chama atenção. Com duas filas de colunas e três portas de
ferro de três metros cada uma, foi construído em 1881, pelo arquiteto Juan
Buschiazzo. No topo do pórtico há uma mensagem em latim que significa “Descanse em paz”.
Pórtico de entrada

 No Mausoléu
da família Alvear descansam os restos de Carlos Alvear, herói da independência
argentina, seu filho, Torcuato Alvear, primeiro prefeito de Buenos Aires, e o
filho dele, Marcelo, que foi presidente do país.

Mausoléu da família Alvear

Dicas:

  • Na
    entrada do Cemitério há sempre alguém vendendo um mapa do local. É uma boa dica
    para quem quiser entender melhor sobre a história do local e também localizar-se
    mais facilmente.
  • As
    visitas guiadas gratuitas são bastante recomendadas. Durante a visita os guias
    contam casos curiosos sobre os túmulos e sobre as pessoas enterradas ali.

Fica na
Rua Junín 1790. Recoleta. Buenos Aires. A entrada é gratuita.
Aberto
das 07:00 até 18:00h.


Para
mais informações visite o site:
 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 20/09/2011 em Buenos Aires

 

Bond Street, a Galeria de todas as "tribos" em Buenos Aires

A Galeria Bond Street é certamente um dos lugares mais diferentes e interessantes para se conhecer em Buenos Aires.

 Aos moldes da Galeria do Rock de São Paulo, a “Bond”, como é popularmente chamada, possui em seus três andares uma enorme variedade de lojas que oferecem produtos e serviços exclusivos.

Conhecida como o núcleo comercial da cultura street de Buenos Aires, a “Bond” é o lugar certo para quem curte streetwear, piercings, tattoos, skate, grafitti, rock, punk, comics, moda alternativa, militar wear, gothic, colecionáveis, entre outros.

Para quem quiser trazer uma lembrança mais permanente de Buenos Aires, como uma tatuagem, a “Bond” é o lugar certo. Além do preço ser bem mais em conta do que no Brasil, os melhores tatuadores da Argentina possuem suas lojas na Galeria.

  As paredes dos andares da galeria são uma atração à parte. Todas pintadas com grafitti, mostrando desenhos e mensagens que refletem a diversidade das culturas chamas “alternativas”.

 Apesar de haver uma mistura super eclética de pessoas de várias tribos e turistas, a convivência no local é super pacífica. Alguns visitantes e vendedores podem chamar atenção com suas roupas diferentes, maquiagem e cabelos coloridos. Uma dica de convivência é olhar mas sem encarar muito! Afinal  de contas, ninguém gosta de ser observado da cabeça aos pés.

Uma das lojas mais interessantes e que, por sí só, já vale a visita é a Cannabis Club. Como o próprio nome sugere, é uma loja que vende de tudo para os adeptos da maconha. Na vitrine da loja é possível ver desde papel para enrolar o cigarro, potinhos e cachimbos para guardar a erva até adubo para o plantio doméstico.

Loja Cannabis Club

Apenas a própria  maconha é que não pode ser encontrada na loja. Apologia ou condenação às drogas à parte, o lugar não deixa de ser diferente e interessante.

Entrada principal na Ave. Santa Fé

A Galeria possui duas entradas sendo uma na Avenida Santa Fé 1670 e a outra na Rua Rodríguez Peña. Bairro Recoleta.

Para mais informações visite o site oficial da Galería:
http://www.galeriabondstreet.com

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 09/09/2011 em Buenos Aires

 

O claustro convertido em Museu da Basílica Nossa Senhora Del Pilar, em Buenos Aires

O bairro Recoleta, em Buenos Aires, possui uma enorme variedade de atrações turísticas pra todos os gostos. Uma das atrações mais importantes do ponto de vista histórico e cultural é a Basílica Nuestra Señora del Pilar.

Declarada Monumento Histórico Nacional em 1942, a Basílica foi inaugurada muito antes, em 1732, sendo assim o segundo templo mais antigo da cidade de Buenos Aires.

Apesar da idade, o local, tanto seu interior, quanto seu exterior, é bastante preservado. De fato, a grande maioria de seus elementos são originais, desde os altares até os objetos de decoração e adoração.

Projetada inicialmente pelo arquiteto Bianchi e finalizada por Primoli, a construção possui arquitetura estilo barroco colonial. O altar é coberto por placas de prata trazidas do Peru.

Objetos expostos no Museu

A história da Basilica Nossa Senhora Del Pilar tem início em 1708, quando frades Recoletos da ordem franciscana chegaram da Espanha e receberam como doação parte da chácara do Capitão Fernando de Valdez e Inclán. O projeto era que fossem construídos uma igreja e um convento. Em 1716 a construção é autorizada pelo rei Felipe V, e uma capela modesta e quatro celas para os franciscanosé construída. Em 1725, a construção da igreja é terminada.

Um dos fatos interessantes sobre o local é que sua torre de 30 metros foi, durante algum tempo, um dos pontos mais altos da cidade.

Antigo claustro transformado em Museu

Outro fato bastante interessante é que foi na antiga horta da Basílica que teve início o Cemitério da Recoleta, atualmente um dos locais mais visitados na cidade.

O altar principal foi obra de Domingo Mendízabal, Ignacio de Arregui e Miguel de Careaga. Já os altares secundários, foram todos talhados pelo português Pedro Carmona.
Entre os altares secundários estão o Altar do Cristo da Paciência e Humildade, que Mostra uma imagem de Cristo, com chagas e feridas na cabeça, sentado sobre uma pedra esperando sua morte na estaca de tortura.

Altar do Cristo da Paciência
e Humildade
 

A Basílica também possui outro altar secundário chamado Altar da Virgem do Carmo, nele o visitante vislumbra uma imagem em madeira  pintada que data do final do século XVIII. Nessa imagem a Virgem se apresenta de pé sobre o Monte Carmelo com o menino Jesus em seus braços. Seu hábito é da ordem Carmelita, todo dourado em sua confecção original, com ornamentos definidos em cor marrom.

Altar da Virgem do Carmo

Dentro da Basílica Nossa Senhora Del Pilar, numa pequena entrada no lado esquerdo, há um museu onde antigamente estavam os claustros dos frades Recoletos.

Nos três andares do Museu é possível apreciar obras de arte Sacra, como pinturas, esculturas, livros de registro, móveis, pratarias e imagens de santos.

O Museu abre de segunda à sábado das 10:30 às 18:00h; e domingos das 14:30 às 18:00h.

Dicas:

  • É possível fotografar tanto na Basílica quanto no Museu.
  • O valor da entrada do Museu é bem baratinho, vale a pena a visita, tanto pela arquitetura do Claustro quanto pela variedade de objetos expostos.
  • No Museu, visitas guiadas em inglês e espanhol estão disponíveis aos domingos . Acesse o site para informações sobre os horários de visitação.
  • Independentemente de religião, lembre-se de que você está visitando um templo de adoração e não uma praia. Evite visitar o local de chinelos, roupas muito curtas, enfim, use traje apropriado. Os argentinos se importam muito mais com essa questão de trajes apropriados do que os brasileiros.
  • Para o passeio no bairro Recoleta, reserve um dia inteiro pois são muitas as opções de passeios e atrações.

Fica na Rua Junín, 1892. No bairro Recoleta, Buenos Aires.

Para mais informações visite o site oficial da Basílica:

 
Deixe o seu comentário

Publicado por em 03/09/2011 em Buenos Aires